SOCIAL
To Top

Mostra Container coloca arquitetura sustentável em evidência

Casa é a primeira de Curitiba a receber a certificação de sustentabilidade GBC, reconhecida internacionalmente

A primeira edição da Mostra Container, que acontece em Curitiba no Paraná abriu as portas para mostrar o resultado de um trabalho que vem sendo desenvolvido desde 2015. Mais de trinta profissionais da arquitetura e design abraçaram a causa: projetar uma casa dentro das noções de sustentabilidade e consciência ambiental. Os 23 ambientes que compõem a casa se distribuem em 375 m² e dois setores: área de viver e estar no térreo e área de criar no primeiro andar.

Tatiana Hultmann Stavitzki, idealizadora do projeto e coordenadora geral da Mostra Container, explica que o objetivo é mostrar que é possível buscar alternativas mais viáveis, do ponto de vista da sustentabilidade, no setor da construção civil. Além disso, a casa também tem sido uma grande escola. “Durante esses três anos, os arquitetos e designers puderam desenvolver suas aptidões em construção sustentável, por meio de cursos oferecidos. Também foram feitas palestras em universidades do Paraná sobre o assunto e mais de dois mil alunos já tiveram a chance de conhecer e aprender com a ideia. Nosso grande intuito é contribuir para mudar a consciência das pessoas sobre a sua forma de viver e construir; precisamos nos unir e encontrar soluções para o problema do uso indevido de recursos naturais, estar alinhados com a visão 2050, para um mundo melhor”.

A casa que abriga a Mostra Container é a primeira de Curitiba a receber o selo sustentável na modalidade Casa da GBC Brasil (Green Build Council), categoria ouro, uma certificação de sustentabilidade reconhecida internacionalmente. Além disso, é a primeira CASA de container e steel frame do Brasil a receber esse tipo de certificação. A GBC considera critérios de inovação, liderança, responsabilidade social e gestão ambiental.

Recursos

Além de ser construída predominantemente em container, a casa também adota o método construtivo steel frame, que se caracteriza por gerar menos resíduos do que as construções tradicionais. “De acordo com documento oficial da visão 2050 do Brasil, o setor da construção civil é um dos maiores consumidores de energia e recursos naturais. Sua cadeia produtiva é responsável por 75% da extração desses recursos, entre água, madeira e minerais, gerando cerca de 50% dos resíduos sólidos urbanos e o desperdício dos materiais pode chegar a 40%; por isso é preciso repensar a forma de projetar e construir e adotar métodos alternativos e funcionais”, explica Tatiana.

Mais de 20% da energia elétrica utilizada é produzida na própria casa, por meio de painéis fotovoltaicos. Além disso, outras medidas foram adotadas, como o aproveitamento da luz natural com a instalação de grandes janelas, eletrodomésticos e lâmpadas mais eficientes, conjunto que proporciona uma economia de mais de 30%.

Há também um sistema de aproveitamento de água da chuva, que é captada pelo telhado, tratada e abastece duas bacias sanitárias, sendo uma delas convertida para a limpeza geral da casa.

Serviço

Visitas agendadas. Período: 15/08 a 21/09. Horários: seg-sex: 13h30 / 15h30 / 17h30 / 19h30 / | sáb: 11h30 | Estr. Ângelo Pianaro, 1631 – Butiatuvinha, Curitiba – PR

Os ambientes

Espaço Zen

O desafio do arquiteto Luiz Maingué foi projetar um ambiente de contemplação e fuga do estresse do dia a dia. Foi inspirado nos jardins japoneses e explora o contraste entre o preto e o branco e entre essas duas cores, os elementos da natureza no entorno. Uma cisterna vertical de 4 metros foi colocada para captar as águas pluviais e redistribuir para uso na casa. Também há um sistema de irrigação automatizado, para garantir que as plantas do jardim estejam sempre saudáveis.

Sala de Jantar e Estar

Esse ambiente é a soma do esforço coletivo da artista Tatiana Hultmann Stavitzki, da engenheira Nazaré Alves, do designer Jonathan Cardozo, da arquiteta Priscila Ferstemberg e da designer Mauren Buest. O resultado foi uma sala ampla, integrada (a porta do container que se abre favorece essa integração), com iluminação automatizada que permite diferentes cenários. Na porta principal de acesso feita de aço, há um sensor para identificação das digitais e, na área de circulação, há sistema de energia emergencial que é acionado por controle remoto e celular. O espaço foi projetado com base em 3 “A”s: Amor, Amizade e Arte.  Destaque para a imponente lareira modelo europeu que traz o aconchego para uma noite perfeita entre amigos, a mesa de laca oval que dá fluidez e movimento à sala de jantar, às amplas janelas que integram a sala com o bosque e às obras de arte de renomados artistas que estão expostas em todo o ambiente.

Lavabo

O segundo espaço projetado pelo arquiteto Givago Ferentz aposta em uma arquitetura mais sofisticada. Com porcelanatos que imitam mármore preto revestindo todas as paredes e o piso gerando formas geométricas que reforçam os conceitos do projeto. A louça sanitária preta e os detalhes em inox trazem mas um toque de sofisticação e sobriedade.

Cozinha

A arquiteta Daniela Cerbatto e a designer Claudia Novak partem do princípio de que a cozinha é o coração da casa, por isso, o projeto também foi pensado para a convivência. A sofisticação se faz presente em detalhes como a escolha da paleta de cores e pelo tampo da bancada em Mármore Paraná, mas sem deixar de lado a funcionalidade. As profissionais apostaram no estilo minimalista escandinavo e em cores neutras.

Copa e Churrasqueira

O conceito desse espaço de convivência, assinado pelo arquiteto Givago Ferentz é justamente promover a interação da família e convidados e fortalecer as conexões interpessoais. O ambiente possui uma mescla de características urbanas com elementos contemporâneos e industriais. A estrutura aparente do container foi mantida para valorizar a proposta e as luminárias de LED criam uma iluminação cênica e ao mesmo tempo sustentável. O mobiliário 100% autoral foi especialmente desenvolvido para a Mostra Contaier 2018.Grandes janelas de vidro permitem a abertura ou fechamento total da lateral da churrasqueira.

Sala Íntima

Assinada pelas designers Schaelly Campos e Mauren Buest, a sala íntima traz móveis multifuncionais projetados especialmente para a mostra a partir de matérias-primas de descarte da indústria moveleira. A composição das portas em “escama de peixe”, o baú escondido no armário e o sofá extensível que se transforma em uma grande área de descanso para a família são os destaques deste espaço acolhedor que traz em seu conceito a integração entre os elementos da natureza.

Suíte dos Meninos Viajantes

Projeto dos arquitetos Rafael Wagner e Débora Pootz, a suíte teve a diversão como principal inspiração. Com a lembrança nos antigos trens de passageiros e suas charmosas cabines, o destaque é o grande beliche, com suas camas embutidas e espaço superior com futons para muitas brincadeiras. A proposta foi pensada para que o ambiente não precise de grandes mudanças ao longo do tempo, acompanhando o crescimento dos meninos, com camas no tamanho padrão e mesas soltas encaixadas no armário e abaixo da bancada, com alturas diferentes. Uma grande área livre central foi deixada propositalmente, para que o quarto seja também um amplo espaço de brincadeiras, reunião de amigos e exercício da criatividade.

 

Banheiro dos Meninos

Pensando na viabilidade sustentável e financeira, as arquitetas Lucille Amaral e Kelly Trindade apostaram em elementos lúdicos dentro de nichos que podem ser transformados facilmente conforme as crianças avançarem para as próximas etapas da vida. A ousadia fica por conta da mistura de materiais: concreto, pedra, vidro e de cores: preto e cinza com azul bic. Com a temática de trem, foi colocado um trilho no teto, que se destaca no ambiente.

Quarto da Adolescente

O quarto despojado foi projetado pela arquiteta Gisela Ribeiro, com apoio na execução da engenheira Nazaré Alves. A ideia foi trabalhar com uma linguagem contemporânea de linhas puras e tons neutros e deixar o ambiente versátil, podendo ser um ambiente de descanso, estudos e relaxamento. A escolha foi por móveis funcionais: a minibiblioteca vira uma cama auxiliar e o móvel de apoio foi estofado para virar um banco, que pode ser usado para estudar ou receber pessoas. Destaque para o papel de parede líquido, um produto ecológico.

Banheiro Teen

Beleza: é com essa palavra que a arquiteta Tatiana Merheb Jordão define seu ambiente para a Mostra Container. Entre os principais diferenciais estão a bancada em L em compacstone que garante melhor aproveitamento do espaço, espelho em toda a sua extensão e um seat Garden, que funciona como uma área de beleza e higiene pessoal. A cartela de cores se baseia no estilo contemporâneo que o projeto segue e também em um estudo de Feng Shui. O resultado é um ambiente de base neutra com cores apenas em detalhes, como os quadros.

Refúgio do Casal – Suíte Master e Closet

Móveis de madeira para trazer aconchego, design leve e estilo contemporâneo, esses foram os ingredientes usados pela arquiteta Mayana Thomé no quarto do casal. O papel de parede líquido é um dos elementos que se sobressaem no closet: o produto é ecológico, 100% natural e funciona como isolante acústico, além de ser antialérgico. Outra peça fundamental é a lareira ecológica, que não libera fuligem, odor ou fumaça e utiliza etanol no acendimento.

Banheiro do Bosque

Com projeto assinado pelos arquitetos Mirian Rodrigues e Diego Viali, o banheiro do bosque conecta elementos clássicos, modernos e industriais e cria uma atmosfera que remete à energia e bem-estar proporcionados pela natureza. Pensando em funcionalidade, o projeto possui assento ecológico tecnológico, além de um jardim vertical automatizado. A sustentabilidade associada aos produtos de alto padrão trouxe requinte e sofisticação, sem esquecer a funcionalidade e a praticidade da vida moderna.

Lavanderia

Fugindo do óbvio, as arquitetas Milene Guerke Vieites Gil e Ana Paula Leal e a designer Anna Karolinna Venturi buscaram inspiração nos metrôs de Londres e de New York para compor a lavanderia. Por isso, a paleta de cores privilegia cores mais urbanas como o concreto e o azul escuro, por exemplo, mostrando que mesmo uma área de serviço pode ter muita personalidade.

Banheiro Acessibilidade

O banheiro assinado pela arquiteta Caroline da Güral Arq.© atende aos requisitos da NBR 9050, possibilitando o uso à PcD. A ideia chave do espaço é oferecer uma arquitetura inclusiva, que facilite e surpreenda os sentidos do usuário. O uso de cores, texturas e elementos táteis tornam o ambiente surpreendente, porque fazem o projeto fugir do padrão visual mais usual em banheiros de acessibilidade. Para valorizar os artistas e empresas curitibanas, algumas obras de arte foram desenvolvidas exclusivamente para o local, onde o painel que cobre todo o teto é um dos destaques.

Escada e casinha Pet Lovers

Com projeto da artista plástica Tatiana Hultmann Stavitzki, a escada é um dos ambientes que compõem a mostra. A cor desse espaço foi inspirada na Pantone 2018, mas em um tom de violeta mais claro. A madeira utilizada na escada é nobre e possui certificado de origem florestal e a iluminação da Phillips Hue é dimerizável e controlada pelo celular ou pela assistente Alexa que interage em diversos espaços da casa. O destaque vai para os quadros na parede que ladeia a escada, contando a história da Mostra Container e ilustrando seus princípios. Ela é o elemento de transição entre o “viver e estar” e a área de “criar” e deve ser subida devagar, devido a diferença de energia entre os andares e o deslocamento da volumetria percebida pelas técnicas de Feng Shui. Debaixo da escada existe um espaço para a mascote da casa, super confortável, delicado e uma pequena adega de vinhos.

Biblioteca e Home Office

Com o objetivo principal de unir funcionalidade e estética, a designer de interiores Nina Oven e a arquiteta Paola Burkot conseguiram, em um espaço de 12 m² acomodar um grande acervo de livros, inserir uma imponente estante metálica que deu mais personalidade ao projeto, criar um espaço para meditação, colocar uma mesa de trabalho que pode ser movida e encaixada, liberando espaço, e ainda uma área para armazenar documentos e fotos da família.

Studio do Cineasta

O espaço assinado pela arquiteta Lucille Amaral deveria se transformar em um ambiente que estimulasse a concentração e a criatividade. Para isso, a grande janela se abre para a paisagem, integrando o interior com a natureza. A bancada de madeira maciça foi feita com um tronco que caiu naturalmente, sem impactar o meio ambiente. Portas com fechadura eletrônica, que abrem somente por digital, foram instaladas nesse cômodo que guarda equipamentos de trabalho do morador.

Ateliê e Brinquedoteca Multifuncional

Projetado pela arquiteta Lucia Loxca que é a primeira refugiada Síria a se graduar no Brasil e pela MSc arquiteta Carolene Coimbra, o ateliê e brinquedoteca de 20 m² é multifuncional, dividido em quatro setores: área de diversão, de estudos, de lazer e quarto de hóspedes. As cores são o destaque do ambiente, especialmente o amarelo citrino. A etapa da marcenaria utilizou um software que evita o desperdício de material. Para economizar energia elétrica, foi criada uma linha única iluminando todo o espaço de um canto ao outro com trilhos de LED e duas amplas janelas. O sofá pode ser transformado em cama de casal ou em duas camas de solteiro, com apoio de mesinhas e futons que podem ser guardados em espaços estratégicos, adaptando-se ao uso do espaço.

Banheiro Tech

O designer Jonathan Cardozo prova que é possível mesclar a natureza com uma inspiração bem futurista nesse banheiro tech. Os recortes nas paredes e forro para inserção da iluminação e as plotagens em tons de azul, especialmente a da parede que tem uma perspectiva de profundidade são os elementos que mais reforçam esse estilo do futuro! Além disso, o projeto contempla um espelho em formato redondo e posicionado assimetricamente em relação ao todo, criando um ambiente impactante.

Sala de TV da Família

O arquiteto Zeh Pantarolli e o designer Diego Miranda Leite projetaram uma sala de 30 m², em que a iluminação cria uma atmosfera clean e aconchegante. As texturas dos xales a almofadas reforçam esse clima de conforto e as cores baseadas no Feng Shui garantem equilíbrio e harmonia. Também na sala, foi colocada uma bancada para funcionar como um mini escritório. Todos os materiais do espaço estão alinhados aos critérios da certificação GBC. O espaço integra-se totalmente a uma área de varanda delicada e funcional.

Varanda do Bosque

Também assinada por Zeh Pantarolli e Diego Miranda Leite, a varanda é um espaço de contemplação, pensada para que o morador tenha conforto ao admirar a vista do bosque. Para conseguir esse efeito, foram priorizados os elementos em madeira e tons terrosos.

Fachada e lateral

Também projetada pela artista Tatiana Hultmann Stavitzki com participação e consultoria de Felipe Guerra, do engenheiro mecânico Fabiano Marcon e do escritório Jessika Bona arquitetura, a fachada simétrica em tom cinza segue a proposta minimalista e, de fora, não revela que a estrutura da casa é em container. Já a fachada lateral, em frente ao bosque, mostra os containers em tom gelo, deslocados e toda a volumetria proposta, e é o primeiro impacto para quem avista a residência na entrada do condomínio. Ou seja, a fachada consegue ser clean e conceitual ao mesmo tempo.

Paisagismo

A arquiteta e paisagista Heloisa Caparica assina o paisagismo da Mostra Container. As plantas típicas da região e perenes, com bastante folhagem verde são predominantes, o que tornou o jardim funcional, já que elas apresentam resistência às baixas temperaturas e exigem baixa manutenção. O uso de lavandas, arruda e alecrim afasta pequenos insetos indesejados do entorno da casa, enquanto a pequena horta de temperos e vegetais cresce tranquila no jardim dos fundos. Manacás trazem cores e o perfume do jasmim exala próximo à varanda do quarto do casal. O jardim conversa com os demais ambientes, e se integra harmoniosamente ao bosque nativo que possui mais de 200 árvores; recebe visitas de tucanos, pica pau, jacus, pequenos e curiosos saguis entre outros animais nativos que se alimentam ali. O jardim e o bosque são o maior presente da natureza para quem vier habitar a casa.

Iluminação

Todo o projeto luminotécnico da casa é assinado pela arquiteta Priscila Ferstemberg – profissional com o maior número de projetos executados em container no Brasil, ao todo, são 16 – e a proposta era trabalhar com o limite de 50 watts por m², para obter a certificação LEED e ser mais um ponto a favor da sustentabilidade. Mesmo assim, todos os cômodos ficaram bem iluminados, harmônicos, funcionais e são dimmerizados, possibilitando variação da luminosidade conforme as necessidades da família. Além disso, a luz natural foi aproveitada ao máximo.

Por Marina Portella – Prime Comunicação

Imagens: Tati Hultmann / Leticia Akemi / Eros Munari / Gustavo Queiroz / Eduardo Von Linsingen / Nenad Radovanovic

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Arquitetura

A Revista USE é uma publicação inédita no Brasil sobre o design intrínseco nas mais variadas peças do mobiliário, decoração e artigos de desejo que traduzem nossa relação com o mundo e tudo o que nos cerca.

Portal - No portal vocês poderão conferir notícias atualizadas diariamente sobre o mundo da decoração, suas inovações e tendências.

Revista - Com publicação quadrimestral, a revista impressa reúne o que há de mais inusitado do mundo do design com distribuição em todo Brasil, tem duas versões: impressa e digital.

Revista USE. 2017 - Todos os direitos reservados.