SOCIAL
To Top

MAM São Paulo anuncia programação virtual de agosto

Uma série de atividades do Educativo do MAM, em parceria com MAC USP, inaugura ações voltadas para a exposição Zona da Mata. Agenda de cursos online traz questões de inclusão, diversidade, ressignificação e história da arte

O Museu de Arte Moderna de São Paulo oferece, ao longo de agosto, uma programação ampla e inclusiva de atividades educativas e cursos para o público participar online. Os encontros virtuais trabalham a intersecção das artes com eixos temáticos que fomentam uma produção cultural plural e diversa.

O Educativo do MAM São Paulo, em uma programação integrada com o Educativo do MAC USP, inaugura ações gratuitas voltadas para a exposição Zona da Mata, de curadoria de Cauê Alves (MAM São Paulo), Ana Magalhães (MAC USP) e Marta Bogéa (MAC USP), em cartaz em ambos os museus.

O artista Fernando Limberger participa de encontro virtual com o público para falar de Paisagem reflexa: Ibirapuera, obra inédita realizada para esta exposição. As educadoras Mirela Estelles e Renata Sant’Anna apresentam uma abordagem de mediação que ativa formas de leitura das obras por meio de narrativas infanto-juvenis, orais e escritas, inspiradas pelos temas e conceitos da mostra. E uma visita integrada com os educadores do MAM e do MAC inaugura uma temporada de visitas virtuais abertas ao público, e para o agendamento de grupos, à Zona da Mata, suscitando reflexões sobre natureza e meio ambiente no encontro com a arte.

Destacam-se também os cursos virtuais oferecidos no mês de agosto. Em Produção de exposição_bastidores de uma mostra de arte, Carol Angelo e Daniele Carvalho evidenciam os processos presentes nos bastidores de uma exposição de arte. O historiador Uila ministra Carnaval e teatro afrobrasileiro em um Brasil quase moderno, curso que propõe reanalisar o contexto artístico local a partir da produção de grupos afro-brasileiros nas áreas do Carnaval e do Teatro.

Ainda integram a programação de cursos: As transtopias de Paul B. Preciado: feminismo, corpo e tecnologia, com Ali Prando e Matheuz Catrinck, História da arte como história das origens, com Renato Menezes, Poética da terra. Ateliê virtual: produção dos pigmentos naturais (2a edição), com Denise Valarini e Fotografia Autoral, com Marcelo Greco .

Os cursos são ao vivo por meio de plataforma de videoconferência, com aulas gravadas disponibilizadas por tempo determinado. Para conferir os planos de aula completos de cada curso, acesse mam.org.br/cursos/ .

Confira todas as atividades educativas:

3 de agosto, terça-feira às 16h
Programa de Visitação
A cidade e o moderno: exposição Desafios da modernidade, com Cristina Fernandes
Visita virtual no Zoom, aberta ao público. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

A cidade de São Paulo sofreu grandes transformações nos últimos 100 anos. A modernidade que tinha seus olhos voltados para fora impacta a paisagem urbana, o fazer artístico e os gostos da elite paulistana. Nesta visita virtual, articularemos a produção da Família Gomide-Graz com o projeto de cidade e seu desenvolvimento no século XX. A partir das relações entre arte, arquitetura e design iremos navegar na exposição Desafios da modernidade à procura de vestígios do que não existe mais.

Cristina Fernandes é graduanda em História da Arte pela Universidade Federal de São Paulo, atua como educadora não formal em espaços expositivos e desenvolve pesquisa sobre a temática da arte popular e o mercado da arte como tentativa de construir novas narrativas e pensar as hierarquias presentes.

Link para inscrição:
https://mam.org.br/evento/a-cidade-e-o-moderno-exposicao-desafios-da-modernidade-com-cristina-fernandes/

4 de agosto, quarta-feira
Programa de Visitação + Arte e Ecologia
Post de experiência poética: Vídeo Confecção de carimbos de borracha
Instagram MAM

As solas de borrachas ou mesmo as sandálias e chinelos que utilizamos, levam em média 50 a 80 anos para se decomporem. Que tal pensarmos em alternativas para darmos nova vida a estes materiais que são descartados quando estão em desuso? Neste vídeo, propomos a confecção de carimbos de borracha a partir de chinelos e sandálias que não estão em condições de uso. Quais outras soluções podemos encontrar para diminuir o impacto de resíduos na natureza? Compartilhe a sua ideia nos comentários!

Materiais:
• sandálias de borracha descartadas
• tesoura (para uso do adulto)
• tinta (o que tiver em casa)
• papel (qualquer tipo)

5 de agosto, quinta-feira, às 16h
Domingo mam
Bordado subversivo: oficina virtual de bordado em suportes diversos, com Amanda Falcão
Oficina virtual no Zoom, livre. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

O encontro virtual se inspira nas trajetórias e mudanças sobre o uso do saber-fazer bordado nas artes visuais e manuais. Como ponto de partida, olharemos para o trabalho de Regina Gomide na exposição Desafios da Modernidade – Família Gomide-Graz nas décadas 1920 e 1930, assim como para transições e outras perspectivas presentes nas obras de artistas como Leonilson e Rosana Paulino, presentes no acervo do MAM São Paulo. Separe os seus materiais e venha bordar com a gente!

Materiais:
• Suporte diverso que irá bordar (tecido, papel, fotografia… você pode explorar diferentes materiais, desde algo que desperte a sua curiosidade ou que tenha alguma relação com a memória)
• Linhas para bordar
• Agulha compatível
• Lápis
• Borracha
• Tesoura
• Papel para rascunho

Amanda Harumi Falcão é artista visual e arte educadora, formada em bacharelado em Artes Visuais e licenciando Artes no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Já atuou em educativo de instituições culturais com exposições temporárias, e atualmente faz parte do educativo do MAM São Paulo. Em suas pesquisas, busca costurar a relação entre memória e o fazer artesanal, como também investigar os processos sutis e interdisciplinares na mediação cultural e arte educação.

Link para inscrição:
https://mam.org.br/evento/bordado-subversivo-oficina-virtual-de-bordado-em-suportes-diversos-com-amanda-falcao/

6 de agosto, sexta-feira, às 16h
Família mam
Oficina virtual de Carranca
Oficina virtual no Zoom, para crianças a partir de 4 anos, acompanhadas de suas(eus) responsáveis. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Carranca é um tipo de escultura com feições de animais e humanos que costuma representar caretas assustadoras. É comum encontrá-la nas proas de embarcações ou na entrada das casas, pois, com sua careta, a carranca tem o poder de espantar qualquer mal. No Jardim de Esculturas do MAM São Paulo, é possível encontrar uma pequena escultura feita de formas geométricas que encara o museu e seus visitantes. Muitos nem desconfiam que na combinação do círculo e triângulo presente na obra há uma típica careta de carranca. Nesta oficina virtual, vamos espantar qualquer mal, criando nossas próprias carrancas com materiais como o papelão e papéis coloridos.

Materiais:
• Papelão
• Tesoura
• Cola
• Lápis
• Papéis diversos
• Materiais de colorir: lápis de cor, giz, tintas
• Fitas adesivas

Link para inscrição:
https://mam.org.br/evento/oficina-virtual-de-carranca/

10 de agosto, terça-feira, às 16h
Programação integrada MAM e MAC USP
Contatos com a arte + Arte e Ecologia – Programação integrada
Zona da Mata: leituras e narrativas, com Mirela Estelles e Renata Santa’anna
Encontro virtual no Zoom, para professoras(es), educadoras(es), pesquisadoras(es), estudantes e artistas. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Neste encontro virtual, iremos explorar diferentes formas de leitura das obras presentes na exposição Zona da Mata, por meio de narrativas orais e impressas em livros infanto-juvenis inspiradas pelos temas e conceitos suscitados pela curadoria da mostra. Essa abordagem de mediação busca apresentar aos participantes novas possibilidades de contato e reflexões sobre natureza e meio ambiente no encontro com a arte.

Mirela Estelles é educadora e contadora de histórias, formada em Comunicação das Artes do Corpo pela PUC SP, especializada em Linguagens da Arte no CEUMA, Centro Universitário Maria Antônia. Com experiência em educação, formação cultural, arte e infância, desenvolve projetos culturais e educativos em escolas, livrarias, bibliotecas, museus e espaços culturais. Atualmente coordena o Educativo do Museu de Arte Moderna de São Paulo, onde atua desde 2009.

Renata Sant’Anna de Godoy Pereira é mestre em artes pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA USP) e formada em artes plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP). Em 2017, foi premiada com o 3° lugar do concurso “FNLIJ – Os Melhores Programas de Incentivo à Leitura junto a crianças e jovens de todo o Brasil”, pelo programa “Histórias da arte para crianças”, entre livros e obras que desenvolve, desde 2012, no Museu de Arte Contemporânea da USP (MAC USP), onde atua como educadora.

Link para inscrição:
https://mam.org.br/evento/zona-da-mata-leituras-e-narrativas-com-mirela-estelles-e-renata-santaanna/

12 de agosto, quinta-feira, às 16h
Programação integrada MAM e MAC USP
Contatos com a arte + Arte e Ecologia Programação integrada
Zona da Mata: encontro virtual com o artista Fernando Limberger
Encontro virtual no Zoom, para professoras(es), educadoras(es), pesquisadoras(es), estudantes e artistas. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

A partir de Paisagem reflexa: Ibirapuera, dois tempos (2021), obra inédita realizada para a exposição Zona da Mata, Fernando Limberger conversa sobre a relação entre arte e ecologia. O artista e paisagista apresenta dois jardins circulares situados em dois pontos diferentes do jardim do MAC USP, “reconstruindo” duas camadas do terreno do Parque Ibirapuera. Um deles por espécies originais da região do parque, quando a área ainda era território indígena e alagadiça; e o outro por espécies encontradas hoje na área do parque e entorno – muitas das quais trazidas e plantadas no terreno para constituir seu paisagismo -, a geometria da obra segue a exprimir a tensão entre o natural e o artificial presente em suas obras.

Fernando Limberger, artista visual e paisagista, iniciou sua pesquisa artística em meados dos anos 80, quando começou a trabalhar em diferentes meios, como desenho, pintura, escultura, instalação e intervenção. Sendo a natureza e seus desdobramentos tema recorrente em seus trabalhos, a partir dos anos 2000 passa a desenvolver projetos em paisagismo para espaços públicos e privados. Apresentou as exposições Verde e amarelo, no Centro Cultural São Paulo (2008); Contaminação cromática, na Praça Victor Civita, São Paulo; Desmoronamento, Azul, no Centro Cultural do Banco do Brasil, Rio de Janeiro (2015) e Contenção verde + Botânica SP, na Pinacoteca de São Paulo (2016) e Relicto, no Museu da Cidade SP – Beco do Pinto e Casa da Imagem (2020). Nos últimos anos participou da 1ª e 8ª Bienal do Mercosul, em Porto Alegre (1997, 2011); Ecológica, no MAM SP (2010); Coaty Ocupação Artística, no Centro Histórico de Salvador (2016) e Amazônia: os novos viajantes, no MuBE, em São Paulo (2018).

Link para inscrição:
https://mam.org.br/evento/zona-da-mata-encontro-virtual-com-o-artista-fernando-limberger/

13 de agosto, sexta-feira, às 16h
Formação em arte e acessibilidade
Método sem método, conversa virtual com Elisa Band
Encontro virtual no Zoom, para professoras(es), educadoras(es), pesquisadoras(es), estudantes e artistas, com 50% das vagas destinadas para a rede pública de ensino. Com inscrição prévia.
Com intérprete de Libras.

Este encontro propõe o compartilhamento de alguns procedimentos e dispositivos de criação que foram experimentados no percurso da propositora com diferentes coletivos. Esse compêndio nasceu nos encontros e nas práticas, por meio de experimentação, tentativa e erro. São procedimentos que vieram do teatro, da performance, da dança, das artes visuais, da música e da vida em geral. Sem querer ser bula ou receita, é uma coleção sedimentada aos poucos, por descoberta, invenção ou recriação, em uma junção de estética, clínica e pedagogia que tem sido útil na elaboração e criação de espetáculos e performances. Conversaremos sobre essa cartografia ainda e sempre em construção de alguns dos mapas que temos criado e que tentam inventar territórios.

Elisa Band é performer, encenadora e pesquisadora. Formada em Artes Cênicas na Unicamp em 1998, foi uma das fundadoras do grupo K, dirigido por Renato Cohen. De 2007 a 2012 foi co-diretora e dramaturga da Cia Ueinzz. Em 2014 e 2015 foi diretora do Grupo de Estudos e Criação em Performance. Em 2015 publicou o livro de contos “Perecíveis”, Ed. Lamparina Luminosa. Desde 2011 é professora do curso de performance do MAM São Paulo, dentro do programa Igual Diferente. Desde 2016 é diretora de Teatro da ONG Ser em Cena. Entre 2017 e 2019 foi professora da disciplina Práticas Performáticas, do curso de pós-graduação da Escola de Artes Célia Helena. Em 2020 se tornou mestra na Escola de Comunicações da USP, na área de Teoria e Prática do Teatro.

Link para inscrição:
https://mam.org.br/evento/metodo-sem-metodo-conversa-virtual-com-elisa-band/

17 de agosto, terça-feira, às 16h
Família MAM
Desafio Corte e Dobra, oficina virtual
Oficina virtual no Zoom, para crianças a partir de 4 anos acompanhadas de suas(eus) responsáveis. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Ao passear pelo Jardim de Esculturas do MAM, é possível observar diversas obras que possuem formas geométricas em suas estruturas. Artistas como Antonio Lizárraga, José Resende, Amilcar de Castro, Sérvulo Esmeraldo, Eliane Prolik e Franz Weissmann criam tridimensionalidade em seus trabalhos por meio de recursos simples como cortes e dobras. Apesar das obras assumirem características geométricas, e em sua maioria abstratas, será que é possível identificar algum elemento figurativo nelas? Inspiradas nesses artistas, propomos o desafio Corte e Dobra. Separe os materiais e venha participar com a gente.

Materiais:
• Papéis diversos
• Tesoura
• Régua
• Lápis

Link para inscrição:
https://mam.org.br/evento/desafio-corte-e-dobra-oficina-virtual

18 de agosto, quarta-feira, às 16h
Domingo MAM
Oficina de performance com Luiza Romão no Jornadas Latinas
Atividade virtual no Zoom, livre. Com inscrição prévia.*
*Somente mulheres e pessoas trans +16 anos
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Nesta oficina de performance, serão oferecidos às participantes exercícios básicos de preparo vocal e corporal, consciência de projeção e movimento, a fim de trabalhar interpretação e performance para slammer.

Jornadas Latinas foi criada pelo Slam das Minas SP com o apoio da Universidade de Tulane (Nova Orleans – EUA em 2021. Uma proposta de imersão literária, com vivências que estimulam a escrita, performance e experimentação artística dentro da linguagem dos slams. O MAM-SP integra a programação recebendo as duas oficinas: performance e escrita. A Jornada é online com inscrições prévias para as atividades de formação, com cotas racial, de gênero e social, além de oferecer bolsas de estudo para artistas em situação de vulnerabilidade.

Luiza Romão é poeta paulista, atriz, arte educadora e diretora de teatro. É autora dos livros “Sangria” (2017) e “Coquetel Motolove” (2014), e produziu mais de quinze vídeopoemas explorando a linguagem do spoken word.

Slam das Minas – SP é a primeira batalha de poesia da cidade de São Paulo com recorte de gênero, que explora as construções possíveis através das palavras.

Link para inscrição:

https://mam.org.br/evento/oficina-de-performance-com-luiza-romao-no-jornadas-latinas/

19 de agosto, quinta-feira, às 16h
Domingo MAM
Oficina de escrita com Mel Duarte no Jornadas Latinas
Atividade virtual no Zoom, livre. Com inscrição prévia.*
*Somente mulheres e pessoas trans +16 anos
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

A oficina Escrita pretende trabalhar com técnicas que estimulam a produção criativa para a composição de textos e desenvolvimento de linguagem poética.

Jornadas Latinas foi criada pelo Slam das Minas SP com o apoio da Universidade de Tulane (Nova Orleans – EUA em 2021. Uma proposta de imersão literária, com vivências que estimulam a escrita, performance e experimentação artística dentro da linguagem dos slams. O MAM-SP integra a programação recebendo as duas oficinas: performance e escrita. A Jornada é online com inscrições prévias para as atividades de formação, com cotas racial, de gênero e social, além de oferecer bolsas de estudo para artistas em situação de vulnerabilidade.

Mel Duarte é escritora, poeta, slammer e produtora cultural. Autora de seis livros, o mais recente “Colmeia: poemas reunidos” (2021). Em 2016 foi destaque no sarau de abertura da FLIP (Feira Literária Internacional de Paraty). Foi a primeira mulher a vencer o Rio Poetry Slam (Campeonato Internacional de Poesia Falada).

Slam das Minas – SP é a primeira batalha de poesia da cidade de São Paulo com recorte de gênero, que explora as construções possíveis através das palavras.

Link para inscrição:
https://mam.org.br/evento/oficina-de-escrita-com-mel-duarte-no-jornadas-latinas/

20 de agosto, sexta-feira, às 16h
Programa de Visitação
Visita no Mundo MAM no Minecraft
Visita virtual no Zoom, aberta ao público. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

————————————————————————————————————————————————————————

VEJA: Cosmopolitan Loft

————————————————————————————————————————————————————————

O MAM abriu uma nova exposição que só existe dentro da plataforma Minecraft: Educational Edition. Agora podemos visitar o museu, seu Jardim de Esculturas e diversas obras de seu acervo também dentro do jogo. A visita será mediada via aplicativo de teleconferência Zoom Meetings e não será necessário nenhuma versão do jogo para acompanhá-la.

Link para inscrição:
https://mam.org.br/evento/visita-no-mundo-mam-no-minecraft/

25 de agosto, quarta-feira, às 16h
Contatos com a arte + marcenaria no mam
Transformar a Madeira: A Marcenaria e as possibilidades de aprendizagem na arte-educação
Encontro virtual no Zoom, para professoras(es), educadoras(es), pesquisadoras(es), estudantes e artistas. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Objetos de madeira ou subprodutos de árvores estão presentes no dia a dia da maioria de nós, fazendo da marcenaria um ofício que vem se atualizando ao longo dos anos. Novos acabamentos e processos de fabricação com ferramentas analógicas e digitais mostraram possibilidades de criação onde artistas, arquitetos, designers, educadores e artesãos podem desenvolver soluções simples e únicas. Nesta oficina, Fernanda Tosta irá compartilhar, a partir de trabalhos em espaços educativos e ateliês, conceitos e práticas desenvolvidas a partir do diálogo estético e relacional entre a marcenaria e as artes visuais.

Fernanda Tosta é designer e artista multidisciplinar, trabalha em seu ateliê a Oficina Oito com orientação e desenvolvimento de projetos onde busca promover a transformação social, com foco no protagonismo individual de cada participante. Sua pesquisa transita pela arte-educação criando oficinas e produtos educativos. Desenvolveu diversos mobiliários e dispositivos de ocupação pública no projeto Conversadeiras, onde conduz análises complexas sobre o mental, o ambiental e o social dos moradores nos locais onde constrói, para que assim coexista os vários corpos.

Link para inscrição:
https://mam.org.br/evento/transformar-a-madeira-a-marcenaria-e-as-possibilidades-de-aprendizagem-na-arte-educacao/

26 de agosto e 9 de setembro, quintas-feiras, às 16h
Contatos com a arte
Canto é Reza: oficina da voz-corpo com Fabiana Cozza
Oficina virtual no Zoom, para professoras(es), educadoras(es), pesquisadoras(es), estudantes e artistas. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Não é necessário ser cantor, cantora ou ter qualquer experiência com canto para nos libertarmos e despertarmos nossos corpos para a canção e seu potencial imaginativo, emotivo, de saúde e bem-estar. A dinâmica dos encontros envolve um pequeno aquecimento corporal/vocal, reforçando a premissa de que voz é corpo e escuta, tendo a respiração como eixo central. E um segundo momento, onde Fabiana apresenta uma canção contextualizando sua origem, significado e simbolismos.

Fabiana Cozza é uma artista negra brasileira, cantora, intérprete, professora e pesquisadora. Sua caminhada passa pelo teatro, dança e música. Atuou em musicais com temática brasileira no início da vida artística, aprimorando sua expressão cênica e interpretação, qualidades que saltam aos olhos de qualquer espectador. Vencedora do Prêmio da Música Brasileira em 2012 e 2018, respectivamente nas categorias “Melhor cantora de samba” e “Melhor CD de língua estrangeira”. Tem oito álbuns e três DVDs lançados, sendo o mais recente intitulado “DOS SANTOS” (2020), nome de batismo herdado do pai. É doutoranda do Instituto de Artes da Unicamp, mestre em fonoaudiologia pela PUC-SP e membro do Pantheatre de Paris, instituição que se dedica a interpretação e performance no teatro e na música.

Link para inscrição:
https://mam.org.br/evento/canto-e-reza-preparacao-de-voz-com-fabiana-cozza/

27 de agosto, sexta-feira, às 10h30
Programação integrada MAM e MAC USP
Programa de Visitação
Zona da Mata: visita mediada virtual com Barbara Jimenez e Evandro Nicolau
Visita virtual no Zoom, aberta ao público. Com inscrição prévia.
Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Visita virtual à exposição Zona da Mata, em cartaz no MAC USP e MAM São Paulo, mediada por ambos seus educadores via plataforma de videoconferência, abrindo assim uma temporada de visitas integradas híbridas – com as(os) educadoras(es) nas exposições e remotas(os) – abertas ao público e com agendamento* ao longo do período da exposição (junho de 2021 a abril de 2022).

A exposição, instalada no térreo e quinto andar (ala B) do MAC, e na Sala de Vidro do MAM, com atividades na área adjacente na Marquise, adota o termo “Zona da Mata” como metáfora simbólica, não geográfica, no reconhecimento do desafio brasileiro de repactuar a constituição de seu território com a restituição da dignidade ao que precisamos reconhecer como nossa morada, reaprendendo as sabedorias indígena e afro-descendente como forma de salvaguardar nossa condição humana e o inevitável convívio entre seres humanos e paisagens. Obras de artistas como Claudia Andujar, Fernando Limberger, Guto Lacaz, Marcius Galan, Julio Plaza, Paulo Nazareth e Rodrigo Bueno compõem o território da exposição que coloca em pauta a relação entre cultura e natureza, propondo reflexão crítica sobre o problema ecológico da sociedade atual.

*O agendamento poderá ser realizado por temporadas (setembro e novembro de 2021, e março de 2022) para o modo virtual para grupos a partir de 10 pessoas, pelo e-mail do MAM Educativo (educativo@mam.org.br).

Barbara Ganizev Jimenez é educadora com formação em PUC-SP, com bacharelado e licenciatura. Pós-graduanda em Educação na Faculdade Rudolf Steiner. Desde 2012 atua no Museu de Arte Moderna de São Paulo onde é responsável pelo Domingo MAM, programa premiado que celebra a cultura popular brasileira, a cultura de rua, os direitos humanos e a diversidade. Atualmente também lidera a área de cursos pagos do MAM SP e mantém pesquisas em Educação, Escrita e Antropologia. Co-fundadora da CAU_ (Cartografias Afetivas Urbanas) curadorias, intervenções artístico-educativas cidade afora e (i)mediações.

Evandro Nicolau é doutor em Estética e História da Arte pelo Programa Interunidades em Estética e História da Arte da Universidade de São Paulo (PPGEHA USP) e educador no MAC USP responsável pelo programa de visitas mediadas.

Link para inscrição: https://mam.org.br/evento/zona-da-mata-visita-mediada-virtual-com-barbara-jimenez-e-evandro-nicolau/

31 de agosto, terça-feira, às 14h30
Programação integrada MAM e MAC USP
Programa de Visitação + Viva Arte: Bem-estar Social e Saúde no Museu
Zona da Mata: Vivências Afetivas no Território
Encontro virtual no Zoom, para profissionais de instituições sociais e da saúde. Com inscrição prévia. Para intérprete de Libras, solicitar pelo e-mail educativo@mam.org.br com até 48hs de antecedência.

Nessa visita virtual à exposição Zona da Mata, em cartaz no MAC USP e MAM São Paulo, conversaremos a respeito dos territórios que nos circunscrevem, tanto geograficamente quanto em suas dimensões culturais, políticas e afetivas. Quais são os territórios e paisagens que nos habitam?

Andrea Amaral Biella é doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FEUSP) e educadora no MAC USP responsável por programas educativos para famílias, professores e demais multiplicadores, além do Viva Arte! Bem-estar Social e Saúde no Museu que atua na interface arte e saúde.

Fernanda Zardo é bacharel em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), com extensão universitária em Literatura e Cinema pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC SP) e pós-graduação em Produção Audiovisual pelo SENAC SP. Tendo iniciado sua experiência com arte educação no Museu da Imagem e do Som de São Paulo, atua como educadora no Museu de Arte Moderna de São Paulo desde 2012, onde é responsável pelos programas de visitação e contatos com a arte.

Gregório Sanches é educador, escritor e historiador, formado no bacharelado e na licenciatura em História pela Universidade de São Paulo (USP), com ênfase na área cultural, museal e arqueológica. Participou da publicação coletiva do livro “Miríade 290: O Que Pode a Escrita?”, em 2009, e das publicações do MAM Educativo “Obras Mediadas”, em 2015, e “Educação e Acessibilidade: experiências do MAM”, em 2018. Atualmente é responsável pelo programa de cursos Igual Diferente.

Link para inscrição: https://mam.org.br/evento/zona-da-mata-vivencias-afetivas-no-territorio/

Conheça os cursos:

As transtopias de Paul B. Preciado: feminismo, corpo e tecnologia com Ali Prando e Matheuz Catrinck
16 de agosto a 20 de setembro | Segundas-feiras das 19h às 21h

O objetivo do curso é introduzir o pensamento de Paul B. Preciado e seus principais conceitos, como a contrassexualidade, a desnaturalização dos corpos e suas tecnologias, a partir de suas discussões e questionamentos sobre gênero, feminismo, política e os marcos da Teoria Queer.

Preciado é considerado um dos mais brilhantes filósofos contemporâneos e expoente da Teoria Queer. Nascido em Burgos, na Espanha, é ainda um dos curadores de arte mais relevantes do mundo, mantendo em debate através de seus trabalhos as teorias de Judith Butler, Félix Guattari, Michel Foucault, Gilles Deleuze e Donna Haraway.

Duração: 6 encontros
Público: interessados em geral
Investimento: R$ 480,00 em até 4 parcelas
Curso online ao vivo via plataforma de videoconferência
Aulas gravadas disponibilizadas apenas por tempo determinado

Ali Prando é um filósofo, pesquisador, curador e multiartista brasileiro. É autor de projetos que interseccionam gênero e sexualidade à cultura pop, como o “Politizando Beyoncé” e “Björk: Paradigmas do Pós-humanismo.exe”. Desde 2020, é curador e apresentador das Mix Talks, programa de discussões contemporâneas do Festival Mix Brasil, o maior evento sobre cultura de diversidade da América Latina. Foi indicado pelo fórum Cidadão Global, do Valor Econômico, como uma das nove pessoas que mais lutaram por justiça e igualdade social no Brasil em 2020. Já participou e colaborou com festivais como Coquetel Molotov, MECA, Mix Brasil, Path e WHOW!, além de instituições como Tapera Taperá, Museu da Imagem e do Som de São Paulo, Museu da Diversidade Sexual, Unibes Cultural e unidades do Sesc em São Paulo.

Matheuz Catrinck é mestrando em Comunicação e Cultura pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO/UFRJ). É bolsista do Programa de Excelência Acadêmica da CAPES e pesquisador do Pontão de Cultura Digital da ECO, onde coordena e desenvolve estudos e ações sobre corpo, subjetividade, sexualidade, tecnopolíticas, estéticas e tecnologias da comunicação.

Link para inscrição: https://mam.org.br/curso/curso-online-as-transtopias-de-paul-b-preciado-feminismo-corpo-e-tecnologia-com-ali-prando/

Produção de exposição_bastidores de uma mostra de arte com carol angelo e daniele carvalho

17 de agosto a 19 de outubro | Terças-feiras, das 19h30 às 21h30

O curso tem como objetivo evidenciar os processos presentes nos bastidores de uma exposição de arte, ao tratar da complexidade deste trabalho e das etapas necessárias para que uma mostra aconteça.

A proposta se divide em introdução, pré-produção, produção, pós-produção e produção de exposição na pandemia. As aulas são expositivas com apresentação de material em formato digital, indicação de leituras, vídeos relacionados aos temas tratados e depoimentos de profissionais da área. Tais depoimentos serão dados por colaboradores do MAM, contando um pouco a respeito de suas experiências e como elas estão inseridas no universo da produção de uma exposição

Duração: 8 encontros
Público: interessados em geral
Investimento: R$ 640,00 em até 4 parcelas
Curso online ao vivo via plataforma de videoconferência
Aulas gravadas disponibilizadas apenas por tempo determinado

Daniele Carvalho Atua há mais de quinze anos na área da cultura e desde 2010 em produção de exposições. Cursou Gestão Cultural no Centro de Pesquisa e Formação do SESC SP, pós-graduação em Fundamentos da Cultura e das Artes pelo Instituto de Artes da UNESP e bacharelado em Artes Plásticas pela mesma universidade. Por quatro anos fez parte do setor de Curadoria e Produção do Museu de Arte Moderna de São Paulo. É fundadora da canaes_ , produtora cultural voltada à produção de exposições e projetos de arte. Esteve na produção de diversas exposições, entre elas: Allegro, de Guto Lacaz, na Chácara Lane SP; Trapézio, de Luiz Hermano, no SESC SP; Maria Martins: metamorfoses, no MAM SP; Bispo do Rosário, no Art et Marges MuséeMuseum, Bruxelas; I in U EU em TU, de Laurie Anderson, no CCBB SP e RJ.

Carol Angelo é especializada em Gestão Cultural pelo Centro de Pesquisa e Formação do SESC SP e em Artes Visuais pelo Centro Universitário Belas Artes, trabalhou com o educativo, acessibilidade e cursos no Museu de Arte Moderna de São Paulo e no Museu Lasar Segall. Atuou como produtora na exposição Madeby…Feito por Brasileiros, no antigo Hospital Matarazzo e foi assistente de produção na Base 7, realizando diversas mostras, tais como: Alimentário – Arte e Construção do Patrimônio Alimentar Brasileiro e Beatriz Milhazes – Coleção de Motivos. Por quatro anos trabalhou na MOVA como produtora, atuando diretamente no Red Bull Station, além de outros projetos como o Valongo – Festival Internacional da Imagem, na cidade de Santos. Atualmente está na produção da exposição Frestas – Trienal de Artes do SESC, organizada pela Arte3.

Link para inscrição: https://mam.org.br/curso/curso-online-producao-de-exposicao-bastidores-de-uma-mostra-de-arte-com-carol-angelo-e-daniele-carvalho/

Fotografia autoral com Marcelo Greco
18 de agosto a 1 de dezembro | Quartas-feiras, das 20h às 22h

Neste curso são apresentados os trabalhos de renomados fotógrafos para contribuir ao entendimento e desenvolvimento da autoria na fotografia, inserindo o trabalho dos autores nas condições sócio-culturais que os influenciaram. Em um segundo momento de cada aula são discutidos os materiais apresentados pelos alunos e alunas procurando através das reflexões do grupo quais são as questões pertinentes que são expostas no material apresentado e quais caminhos sugeridos ao autor.

Duração: 16 encontros
Público: pessoas interessadas em compreender e se desenvolver no uso da fotografia como forma de expressão artística e que tenham conhecimentos técnicos de fotografia.
Investimento: R$ 1.280,00 em até 5 parcelas

Marcelo Greco trabalha com fotografia desde 1996. Desenvolve projetos nos principais museus do país, como MAM e MASP. Fez diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Faz parte de algumas coleções como da Coleção Joaquim Paiva, Fundação Cultural de Curitiba, Pinacoteca do Estado de SP, etc. Foi curador geral do Festival ‘Paraty em Foco’ 2008. Em 2009 criou a Schoeler Editions.

Link para inscrição: https://mam.org.br/curso/fotografia-autoral-i-com-marcelo-greco/

Carnaval e teatro afrobrasileiro em um Brasil quase moderno com Uila
19 de agosto a 9 de setembro | Quintas-feiras das 19h às 21h

A partir do reconhecimento da busca de uma cultura propriamente brasileira entre o final do séc. XIX e meados do XX, este curso propõe reanalisar o contexto artístico local a partir da produção de grupos afro-brasileiros nas áreas do Carnaval e do Teatro.

Renegando, mas atento aos discursos baseados no mito das três raças, o percurso do curso pretende esmiuçar as ações que tornavam possíveis a elaboração de uma identidade à parte, menos discursivamente miscigenada e mais propositivamente irrigada por uma investigação de uma identidade negra, tensionada tanto pela herança africana como pela condição sócio-cultural destinada à ela na sociedade brasileira.

Duração: 4 encontros
Público: interessados em geral
Investimento: R$ 320,00 em até 4 parcelas
Curso online ao vivo via plataforma de videoconferência
Aulas gravadas disponibilizadas apenas por tempo determinado

Uila (Uilton Garcia Cardoso Júnior) tem formação na área da História da Arte pela Unifesp e como pesquisa principal os estudos do uso das imagens e da colonialidade nas relações raciais da história brasileira. Já trabalhou como educador em museus e instituições culturais, e atualmente é professor de História na Noc Educação, pesquisador no Acervo Bajubá e no Descolonizarte. Participou do Experiências Negras no Instituto Tomie Ohtake (2019), do Diversas: encontro sobre ação educativa e diversidades (2018-19) no SESC, SENAC e NÚCLEO LUZ e da Residência de Pesquisa em Arte Contemporânea na Uberbau_House (2020).

Link para inscrição: https://mam.org.br/curso/curso-online-carnaval-e-teatro-afrobrasileiro-em-um-brasil-quase-moderno-com-uila/

História da arte como história das origens com Renato Menezes
20 de agosto a 10 de setembro | Sextas-feiras das 19h às 21h

Esse curso pretende refletir sobre o compromisso que a História da Arte teve – desde seu nascimento, no século XVI, até o século XX -, com a produção de narrativas focadas na busca e construção de mitos de origem, centrando-se em diferentes ideias de nacionalismo e de territorialidade.

Estruturados em temas e baseados em análise de imagens, os encontros oferecerão um olhar amplo e crítico sobre essa disciplina, a fim de problematizar as categorias tradicionais que a constituem (tais como cronologia, estilo, escolas artísticas etc.) e de repensar seu próprio destino.

Duração: 4 encontros
Público: interessados em geral
Investimento: R$ 320,00 em até 4 parcelas
Curso online ao vivo via plataforma de videoconferência
Aulas gravadas disponibilizadas apenas por tempo determinado

Renato Menezes é historiador e crítico de arte, doutorando em história e teoria da arte pela École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS, Paris). Mestre em história pela UNICAMP e graduado em história da arte pela UERJ.

Link para inscrição: https://mam.org.br/curso/curso-online-historia-da-arte-como-historia-das-origens-com-renato-menezes/

Poética da terra. Ateliê virtual: produção dos pigmentos naturais (2a edição) com Denise Valarini
26 de outubro a 23 de setembro | Quintas-feiras, das 19h às 21h

Caminhar, coletar elementos naturais nos jardins, nas cozinhas, nas matas para produzir pigmentos naturais a partir dessas matérias-primas é o objetivo deste curso. Será apresentado aos participantes a extração de pigmentos minerais e vegetais com ênfase na produção de laca natural. Pigmentos de laca é o processo de extração da cor, ou seja, do corante de plantas, sementes, cascas de árvores, flores, vegetais transformando-os em pó ou e uma pasta estável. Esses pigmentos podem ser utilizados para fazer tintas aquarelas, tintas a óleo, gizes podendo ser aplicados em diversos suportes como papel, tecido e parede.

Duração: 4 encontros
Público: artistas plásticos, atelieristas, professores e interessados em geral
Investimento: R$ 320,00 em até 4 parcelas
Curso online ao vivo via plataforma de videoconferência
Aulas gravadas disponibilizadas apenas por tempo determinado

Os materiais necessários para participação do curso estão sob responsabilidade de cada participante, uma lista será enviada após a inscrição no curso. Contudo, se faz necessário ressaltar que eles são de baixo custo e coletáveis na natureza.

Denise Valarini Leporino é licenciada em Artes Visuais com ênfase em Design pela Puc- Campinas e mestra pelo Instituto de Artes da Unicamp. Atua como docente na Faculdade Unimetrocamp, no Curso de Pedagogia. É fundadora do Projeto Poética do Habitar, investigando a extração de pigmentos e produção de materiais naturais em conexão com a natureza. Investiga metodologias no Ensino de Arte Contemporânea para crianças. Trabalha com formação de Professores e é professora na rede particular de ensino.

Link para inscrição (início das inscrições 30/07): https://mam.org.br/curso/curso-online-poeticas-da-terra-atelie-virtual-producao-dos-pigmentos-naturais-com-denise-valarini/

Sobre o MAM São Paulo

Fundado em 1948, o Museu de Arte Moderna de São Paulo é uma sociedade civil de interesse público, sem fins lucrativos. Sua coleção conta com mais de 5 mil obras produzidas pelos mais representativos nomes da arte moderna e contemporânea, principalmente brasileira. Tanto o acervo quanto as exposições privilegiam o experimentalismo, abrindo-se para a pluralidade da produção artística mundial e a diversidade de interesses das sociedades contemporâneas.

O Museu mantém uma ampla grade de atividades que inclui cursos, seminários, palestras, performances, espetáculos musicais, sessões de vídeo e práticas artísticas. O conteúdo das exposições e das atividades é acessível a todos os públicos por meio de visitas mediadas em libras, audiodescrição das obras e videoguias em Libras. O acervo de livros, periódicos, documentos e material audiovisual é formado por 65 mil títulos. O intercâmbio com bibliotecas de museus de vários países mantém o acervo vivo.

Localizado no Parque Ibirapuera, a mais importante área verde de São Paulo, o edifício do MAM foi adaptado por Lina Bo Bardi e conta, além das salas de exposição, com ateliê, biblioteca, auditório, restaurante e uma loja onde os visitantes encontram produtos de design, livros de arte e uma linha de objetos com a marca MAM. Os espaços do Museu se integram visualmente ao Jardim de Esculturas, projetado por Roberto Burle Marx para abrigar obras da coleção. Todas as dependências são acessíveis a visitantes com necessidades especiais.

https://www.mam.org.br/MAMoficial
https://www.instagram.com/MAMoficial
https://www.twitter.com/MAMoficial
https://www.facebook.com/MAMoficial
https://www.youtube.com/MAMoficial

 

 

Por Laura Jabur

Imagem: Rafael Roncato

 

 

—————————————–

Somos o Grupo Multimídia, editora e agência de publicidade especializada em conteúdos da cadeia produtiva da madeira e móveis, desde 1998. Informações, artigos e conteúdos de empresas e entidades não exprimem nossa opinião. Envie informações, fotos, vídeos, novidades, lançamentos, denúncias e reclamações para nossa equipe através do e-mail redacao@grupomultimidia.com.br ou entre em contato pelo (41) 3235.5015.

Conheça outros de nossos canais do setor:

www.madeiratotal.com.br
www.revistavarejobrasil.com.br
www.megamoveleiros.com.br
www.revistause.com.br

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Acontece

A Revista USE é uma publicação inédita no Brasil sobre o design intrínseco nas mais variadas peças do mobiliário, decoração e artigos de desejo que traduzem nossa relação com o mundo e tudo o que nos cerca.

Portal - No portal vocês poderão conferir notícias atualizadas diariamente sobre o mundo da decoração, suas inovações e tendências.

Revista - Com publicação quadrimestral, a revista impressa reúne o que há de mais inusitado do mundo do design com distribuição em todo Brasil, tem duas versões: impressa e digital.

Revista USE. 2017 - Todos os direitos reservados.